myPOS blog Dicas

O que é um gateway de pagamento para ecommerce?

Acompanhar toda a terminologia que há relacionada com a aceitação de pagamentos pode ser bastante difícil – especialmente com todos os novos conceitos a aparecerem constantemente.

Um desses termos é conhecido como gateway de pagamento, ou “payment gateway”, em inglês. Mas o que é e será que precisa de um para o seu negócio? Vamos descobrir!

O que é um gateway de pagamento?

Uma das formas de explicar isto seria dizer que um gateway de pagamento é o equivalente “virtual” de um POS (Ponto de Venda) que ajuda os comerciantes a aceitar pagamentos online. Ajuda com o ciclo de vida do pagamento e é uma forma segura de aceitar pagamentos, uma vez que permite minimizar a fraude.

Parece complicado? Digamos assim: um gateway de pagamento é o “intermediário” virtual para transações online. Tem a capacidade de passar informações de cartão do comerciante ao banco específico e relevante, através da rede de cartões de crédito apropriada. Isto é feito de uma de duas maneiras:

  1. Através do TPA nas lojas de retalho – físico
  2. Serviços de pagamento online para websites e aplicações móveis – virtual

Um payment gateway comunica ao comerciante se a cobrança foi aprovada pelo banco do titular do cartão e submete os encargos para cobrança.

Como funciona um gateway de pagamento?

Aqui está o processo passo a passo das operações:

  1. O seu cliente entra na sua loja online ou aplicação móvel, escolhe o produto que gostaria de comprar e, em seguida, procede para o checkout. Checkout é a página em que os pagamentos são feitos.
  2. A página de pagamento que será agora apresentada conterá campos para a introduzir os dados do cartão de débito ou de crédito do cliente. Por exemplo, algumas das informações requeridas incluirão o nome do titular do cartão, data de validade do cartão, número PAN e número CVV.
  3. É aqui que entra em jogo gateway de pagamento. Fornece um token encripta todos os dados do cartão submetidos, realiza verificações de fraude e envia os dados do cartão para o banco adquirente.
  4. O banco adquirente comunica então a informação do titular do cartão aos principais esquemas de cartões, tais como Visa ou Mastercard. Esta comunicação é novamente feita de forma segura.
  5. Depois disso, os esquemas de cartão realizarão outra verificação de fraude e procede ao envido dos dados de pagamento para o banco emissor.
  6. Agora é hora de o banco emissor fazer o seu trabalho. Em primeiro lugar, realizará o rastreio de fraude e, em seguida, autorizará ou rejeitará a transação com base na possibilidade de existirem fundos suficientes na conta do cliente.
  7. Em seguida, o facto de o pagamento ter sido aprovado ou negado será comunicado de volta dos esquemas de cartão ao adquirente. 
  8. Em seguida, o banco adquirente enviará a mesma mensagem para o gateway de pagamento, que depois transmitirá a mensagem ao comerciante.
  9. Se o pagamento for aprovado, o adquirente recolherá o valor do pagamento do banco emissor e transferirá os fundos para a conta do comerciante – também conhecido como liquidação.
  10. No final, se o pagamento for aprovado, o comerciante pode apresentar uma página de confirmação de pagamento.
  11. Em alternativa, se o pagamento tiver sido recusado, será solicitado ao cliente que forneça outro método de pagamento.

Diferentes tipos de gateways de pagamento

Quais são os vários tipos de gateways de pagamento

Vamos dar uma vista de olhos aos três tipos principais:

Redireccionamentos

Este tipo de payment gateway geralmente leva o cliente à página de pagamento do emitente para tratar do processamento. Torna-se essencialmente um “redireccionamento”.

Embora isto ofereça um certo nível de simplicidade para os pequenos retalhistas, também pode significar menos controlo para o comerciante, bem como um passo adicional para o cliente, no processo de pagamento.

Checkout no site, pagamento fora do site

Aqui, o checkout frontal ocorrerá no seu site. No entanto, o processamento do pagamento será realizado através do back-end do provedor de gateway que escolheu.

Mais uma vez, isto oferece um elemento de simplicidade aos seus clientes, mas fica sem controlo sobre quaisquer “peculiaridades” que o gateway de pagamento possa ter.

Pagamentos no local

Com estes tipos de pagamento, os pagamentos no local são tratados inteiramente pelas empresas (que tendem a ser do lado maior) através dos seus próprios servidores. O checkout e o processamento de pagamentos acontecem através dos seus próprios sistemas.

Embora isto signifique mais controlo sobre o processo de pagamento, também coloca muito mais responsabilidade sobre si para garantir que as transações são seguras e confiáveis.

Como o pode usar?

O tipo de gateway de pagamento que escolher para o seu negócio vai ditar a forma como o utiliza no seu processo de venda diária no seu website.

Essencialmente, deve configurá-lo com um prestador de serviços de pagamento, certificando-se de que todas as licenças e certificações estão em vigor e que está pronto para vender.

Critérios para escolher o melhor gateway de pagamento

Alguns dos critérios mais importantes a analisar incluem:

  • Proteção contra fraudes – o serviço oferece proteção contra fraudes? Isto é algo em que deve mesmo de pensar, uma vez que os cibercriminosos estão a ficar cada vez mais experientes nos dias de hoje, e precisa de garantir que os seus clientes podem confiar em si, juntamente com o serviço de pagamento que fornece.
  • Uso de Tokens – pergunte se é feito uso de tokens no envio e comunicação de informações do cartão do cliente para os bancos emissores e adquirentes. Isto adiciona uma camada extra de segurança ao processo de pagamentos.

Como pode adquirir um?

Conseguir ter o seu payment gateway em funcionamento não tem de ser uma chatice ou uma experiência incómoda! Só depende do seu fornecedor e de quem, em última análise, escolhe como parceiro.

Lembre-se que existem fornecedores como o myPOS que não cobram taxas mensais, anuais ou de inscrição, que lhe oferecem um cartão Visa empresarial para gerir os seus fundos e liquidez, bem como liquidação instantânea de fundos, além de uma série de outros benefícios e funcionalidades de valor acrescentado. 

Qual é o custo de um gateway de pagamento

Quanto custa?

Agora está na hora do mais importante. Quanto é que um gateway de pagamentos lhe custará? Com muitos fornecedores no mercado, terá de se preparar para:

  • Mensalidades
  • Taxas anuais
  • Taxas de inscrição
  • Taxas de serviço
  • Taxas de transação
  • E outros

Mas porque se sujeitaria a isso, especialmente quando a liquidez é algo de que necessita para o seu negócio? Na myPOS, não contamos com estas taxas – connosco, você só paga uma pequena taxa de transação, competitiva e acessível. Não há dúvida de que este é um bónus que vale a pena investigar!

Conclusão

Se pensou que os gateways de pagamento eram um conceito difícil no início desta publicação, esperamos ter atenuado os seus receios e que o tenhamos ajudado a obter uma compreensão mais ampla sobre este assunto.

Não são um animal tão duro de domar como alguns pensam. Só precisa de uma compreensão básica do seu funcionamento e das operações gerais para saber de tudo o que se relaciona com os gateways de pagamento.

Como “intermediário” nas transações de pagamentos, ajudam a reduzir o risco de fraude e retornos e dão aos seus clientes a confiança para fazerem compras na sua loja de forma segura.

E a melhor parte? Não precisam de lhe custar os olhos da cara.

Pode implementar um gateway de pagamentos na sua loja online ou aplicação móvel e usufruir da segurança que oferecem bem como pagamentos mais suaves, tudo isto sem taxas desnecessárias e excessivas.

Partilhar esta publicação:

Publicações relacionadas

Fale connosco

Utilizamos cookies

Utilizamos cookies e outras tecnologias de monitorização para otimizar o nosso website e oferecer informações personalizadas aos nossos visitantes. Saber mais

Em alternativa, pode gerir os cookies .

2-3